decommissioning-late-life-operations-banner-tcm9-220639.jpg

Desativação em petróleo & gás

Poços e instalações de petróleo e gás, desenvolvidos a partir da década de 1970, estão chegando ao fim de suas vidas úteis e um período intenso de desativação offshore está se acentuando em todo o mundo. Mas o processo é um desafio caro. Na verdade, o valor em jogo na execução adequada desses projetos poderia valer vários bilhões de dólares para muitos países. Apenas no mar do Norte, as estimativas agregadas para os custos de desativação partem de aproximadamente USD 150 bilhões.

O Golfo do México está bem avançado em seu processo de desativação e a atividade está se intensificando no mar do Norte. Agora, outros pontos de acesso estão surgindo em todo o mundo. E eles devem se preparar para o que normalmente é uma tarefa enorme.

Em muitos pontos de acesso emergentes, a preparação ainda está em fase inicial. A desativação offshore exige um alto nível de coordenação entre governos, operadores e prestadores de serviços, todos eles são players impulsionados por incentivos diferentes. Além disso, em muitos países, os contribuintes estão preocupados com a mordida do leão nos custos de desativação, aumentando o responsabilidade pública das ações das partes interessadas.

Embora operadores e prestadores de serviços desempenhem funções essenciais na definição e na execução de uma agenda de desativação eficaz, os governos nacionais devem dar o exemplo ao estabelecer uma estrutura de governança abrangente e ao apoiá-la com instituições sólidas. Essa estrutura deve garantir o uso ideal de fundos públicos, incentivar o projeto e a execução de projetos de nível mundial, e promover a cooperação de geração de valor em toda a cadeia de suprimentos.

Com base na nossa experiência de apoiar projetos de desativação globalmente, identificamos cinco etapas que os governos devem adotar para preparar:

  • Definir a ambição, a estratégia e o plano mestre.
  • Estabelecer e aplicar a governança correta, a gestão fiscal e de risco e as estruturas regulatórias técnicas.
  • Configurar uma única plataforma de colaboração para que os operadores compartilhem lições, resolvam problemas e explorem campanhas conjuntas.
  • Identificar as obrigações de desativação.
  • Criar e promover uma agenda de desempenho rigorosa.

Redução do custo de desativação

Operadores de petróleo e gás no mundo todo precisam reduzir drasticamente os custos de desativação de poços e instalações. Mas a redução de custos não é uma preocupação exclusiva dos players da indústria de petróleo e gás. Os governos também têm interesse na redução dos custos: até 50% a 80% da conta dos contribuintes pode estar comprometida com a desativação offshore. Reconhecendo a urgência, alguns governos estabeleceram uma meta para reduzir os custos de desativação em 30% ou mais. Mas o caminho para alcançar reduções dessa magnitude permanece incerto.

Embora a meta de reduzir os custos de desativação em 30% seja ambiciosa, nossa experiência apoiando governos e operadores sugere que é possível. O BCG trabalhou com players da indústria para reduzir significativamente os custos de desativação em nível nacional, empresarial e de projeto. Para chegar lá, os operadores e os governos precisam de um roteiro detalhado que direcione a aplicação de uma variedade de alavancas projetadas para fazer o uso mais eficiente dos recursos de desativação.

No desenvolvimento de roteiros de redução de custos para o processo de desativação, identificamos dezenas de fontes de valor e de risco. Para capturar o valor e mitigar os riscos, os principais operadores e os governos aplicaram seis alavancas de redução de custos.

Reducing the Cost of Decommissioning

Oil and gas operators worldwide need to dramatically slash the costs of decommissioning wells and installations. But cost reduction isn’t a concern solely for oil and gas industry players. Governments also have a vested interest in reducing costs: taxpayers can be on the hook for as much as 50% to 80% of the bill for offshore decommissioning. Recognizing the urgency, some governments have set a goal to reduce decommissioning costs by 30% or more. But the path to achieving reductions of this magnitude remains uncertain.

Although the goal of reducing decommissioning costs by 30% is ambitious, our experience supporting governments and operators suggests that it is achievable. BCG has worked with industry players to significantly cut decommissioning costs at the national, company, and project level. To get there, operators and governments need a detailed roadmap that directs the application of a variety of levers that are designed to make the most efficient use of decommissioning resources.

In developing cost reduction roadmaps for the decommissioning process, we have identified dozens of sources of value and risk. To capture the value and mitigate the risks, leading operators and governments have applied six cost-reduction levers.

Preparing for the Next Wave of Offshore Decommissioning

The Application of Six Levers Can Enable 30% Savings

No single lever is sufficient by itself. To realize cost reductions of as much as 30%, stakeholders must take an orchestrated approach that applies each of the levers relevant to a specific decommissioning project or campaign.

Fit-For-purpose design and technology

Intelligent multiproject campaigns

Excellent project planning and execution

Factory Model

Innovative contract models

The right team

Learn More About Decommissioning in Oil & Gas

Colaboração para Descomissionamento: Reflexões sobre o Primeiro Ano da Nexstep

Jacqueline Vaessen, gerente geral da NexStep, discute as metas e as prioridades em descomissionamento da plataforma holandesa.

A Urgência Global da Desativação na Indústria de Petróleo & Gás

Eric Oudenot, do BCG, explica por que a desativação de poços e plataformas rapidamente está se tornando prioridade para empresas de petróleo e gás, assim como governos, no mundo todo.



SUBSCRIBE